Imagens de Satélite Alos Palsar

O satélite ALOS (Advanced Land Observing Satellite) foi lançado em 24 de janeiro de 2006 pela Japan Aerospace Exploration Agency – JAXA, no centro espacial de Tanegashima (Japão) e entrou na fase operacional de fornecimento de dados ao público em 24 de outubro de 2006.
O programa japonês de observação da Terra consiste de duas séries: a de satélites utilizados principalmente para observação atmosférica e marinha, e a de satélites utilizados principalmente para observação terrestre. O ALOS apresenta avançada tecnologia de observação terrestre, sendo utilizado para cartografia, monitoramento de desastres e levantamento de recursos naturais.
O satélite deriva-se da tecnologia desenvolvida por seus antecessores, os satélites japoneses ADEOS e JERS-1. A ele foi incorporada características necessárias aos satélites modernos de alta resolução: a grande velocidade e capacidade de tratamento dos dados e a precisão avançada na determinação de seu posicionamento espacial, já que possui sistema de controle de órbita e altitude baseados em GPS de dupla freqüência.

O ALOS possui três instrumentos de sensoriamento remoto: o PRISM (Panchromatic Remote-sensing Instrument for Stereo Mapping) capaz de adquirir imagens tridimensionais da superfície terrestre, AVNIR-2 (Advanced Visible and Near Infrared Radiometer type 2) para cobertura  terrestre  precisa e o PALSAR (Phased Array type L-band Synthetic Aperture Radar) capaz de obter imagens diurnas e noturnas sem a interferência de nebulosidade.

 

O PALSAR foi desenvolvido por um projeto conjunto entre a JAXA e o JAROS (Japan Resources Observation System Organization). Ele é um sensor microondas ativo que opera na frequência da banda L, capaz de adquirir imagens diurnas ou noturnas e em quaisquer condições atmosféricas. Por ser um radar de abertura sintética (SAR), o PALSAR possui resolução espacial que varia de 10 a 100 metros com opção de polarimetria, gerando imagens com as polarizações HH, VV, HV e VH.

O PALSAR possui dois modos de observação, o modo Fine com resolução espacial de até 10 m e o ScanSAR, capaz de imagear largas faixas de observação que variam de 205 a 350 km (dependendo do número de varreduras) ao custo de uma menor resolução espacial.

Especificações técnicas basicas

Informações Comerciais

Aquisição de imagens de satélite

Ao consultar a GlobalGeo é válido saber que cada satélite, possui especificações comerciais próprias acerca do cálculo das imagens (número de cenas ou área nominal), disponibilidade (acervo ou nova coleta), tipos de imagens (monoscópicas ou pares estéreos / composição de bandas ou pancromática / resolução espacial), restrições quanto áreas e faixas mínimas comercializadas, ângulos de aquisição das imagens e restrições quanto a cobertura de nuvens.

Normalmente as operadoras dos satélites são as responsáveis pelas especificações e restrições comerciais de cada satélite.

Solicitamos que caso deseje receber uma cotação para um polígono de interesse específico, nos envie um arquivo KMZ ou SHP (de preferência em projeção geográfica e datum WGS84) com a delimitação do polígono e nos informe os seguintes dados:

Baseado nas informações acima, indicaremos qual o melhor satélite/sensor que se aplica ao projeto/estudo e informaremos sobre possíveis restrições.

Seguem abaixo as principais especificações e restrições do satélite ALOS:

 

Operadora GISTDA – Satélite ALOS

Consulte-nos e faça seu orçamento clique aqui

Conheça Outras
Imagens de Satélite

Nova Lima/MG

Rua da Paisagem, 240 . 4° andar, sala 414. 
Vila da Serra | Nova Lima | MG |Brasil 
CEP: 34.006-059 
+55 31 2533-9900 
+55 31 3234-0294

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES